CIGARRO, ÁLCOOL E OBESIDADE PODEM PREJUDICAR A FERTILIDADE MASCULINA, AO CONTRÁRIO DO QUE FOI DITO EM RECENTE ARTIGO DIVULGADO NA INTERNET

Dr. Arnaldo Cambiaghi

Dr. Rogério Leão

Recentemente foi publicado um artigo mostrando que em recente trabalho realizado no Reino Unido foi observado que cigarro, obesidade, álcool e “drogas recreativas” tem pouco efeito sobre a fertilidade masculina e qualidade do sêmen. Entretanto, tem que se tomar muito cuidado com essa afirmação pois, ao se avaliar o estudo em questão, vemos que isso não é bem verdade e pode levar a idéias erradas.

Neste trabalho, realizado pelo Dr. Andrew Povey e colaboradores, da Universidade de Manchester, e publicado na revista Human Reproduction, foram comparados homens com diminuição na concentração de espermatozóides móveis com homens com concentração normal e analisados vários aspectos de estilo de vida. No estudo, não houve diferença entre os grupos em relação a tabagismo, obesidade, consumo de álcool e “drogas recreativas”.

Com isso, concluíram que esses hábitos alteram pouco a concentração e motilidade dos espermatozóides, mas não significa que não interferem na fertilidade. Não foram avaliados outros parâmetros do espermograma muito importantes como a morfologia (forma dos espermatozóides) e a integridade do DNA dos espermatozóides.

É sabido que a morfologia alterada está relacionada às menores taxas de fertilização e gravidez obtidas com tratamentos de fertilização in vitro. Além disso, estudos recentes tem mostrado que a avaliação da fragmentação do DNA também é importante. Taxas altas estão relacionadas a menor chance de gravidez espontânea ou com tratamento, além de uma maior taxa de aborto. Entre as causas mais comuns desta alteração estão  dieta inadequada, fumo, alcool e drogas. Além disso, vários estudos demonstram uma associação de obesidade, cigarro, álcool e drogas com menores taxas de gravidez e de sucesso nos tratamentos de infertilidade, independente da concentração seminal.

É válida a ressalva feita pelos autores do estudo inglês que não se deve esperar a mudança de hábitos para iniciar um tratamento. Adiar procedimentos, esperando que com alterações no estilo de vida consiga-se melhorar a qualidade do sêmen e conseguir gravidez não é válida, uma vez que o fator idade ainda é o mais importante no sucesso dos tratamentos de reprodução assistida. Entretanto, diminuir ou abolir o álcool, cigarros, drogas, assim como estar no peso ideal, será benéfico na obtenção de gravidez e sua manutenção realmente pode prejudicar a fertilidade.

Estamos alertando pois ao se ler uma manchete que álcool e cigarro afetam  pouco a fertilidade pode-se ter a idéia errônea de que não tem influência na preservação da fertilidade e sucesso nos tratamentos de reprodução, o que não é verdade. Orientar a mudança de hábitos continua sendo muito importante como medida adjuvante aos tratamentos de reprodução assitida.

 

 

Referências Bilbiográficas

Braga DP, Halpern G, Figueira Rde C, Setti AS, Iaconelli A Jr, Borges E Jr. Food intake and social habits in male patients and its relationship to intracytoplasmic sperm injection outcomes. Fertil Steril. 2012 Jan;97(1):53-9. Epub 2011 Nov 10.

El-Melegy NT, Ali ME. Apoptotic markers in semen of infertile men: Association with cigarette smoking. Int Braz J Urol. 2011 Jul-Aug;37(4):495-506.

 

Evenson D, Wixon R. 2006. Meta-analysis of sperm DNA fragmentation using the sperm chromatin structure assay. Reprod Biomed Online. Apr;12(4):466-72.

Kennedy C, Ahlering P, Rodriguez H, Levy S, Sutovsky P. 2011. Sperm chromatin structure correlates with spontaneous abortion and multiple pregnancy rates in assisted reproductionReprod Biomed Online. Mar;22(3):272-6.

Li Y, Lin H, Li Y, Cao J. Association between socio-psycho-behavioral factors and male semen quality: systematic review and meta-analyses. Fertil Steril. 2011 Jan;95(1):116-23. Epub 2010 Aug 2.

Povey AC, Clyma JA, McNamee R, Moore HD, Baillie H, Pacey AA, Cherry NM. Modifiable and non-modifiable risk factors for poor semen quality: a case-referent study. Hum Reprod. 2012 Jun 16.

Sadeu JC, Hughes CL, Agarwal S, Foster WG. Alcohol, drugs, caffeine, tobacco, and environmental contaminant exposure: reproductive health consequences and clinical implications. Crit Rev Toxicol. 2010 Aug;40(7):633-52.

Zini A. 2011. Are sperm chromatin and DNA defects relevant in the clinic? Syst Biol Reprod Med. Feb;57(1-2):78-85.

Deixe uma resposta