Uso de testosterona pode melhorar taxa de gravidez em pacientes más-respondedoras em ciclos de Fertilização in vitro

Dr. Arnaldo S. Cambiaghi

Dr. Rogério Leão

Apesar dos grandes avanços, um dos maiores desafios que enfrentamos em reprodução assistida são as chamadas “más respondedoras”, ou seja, pacientes que mesmo com o uso de doses máximas de medicações para estimulação ovariana, apresentam ainda assim uma baixa resposta (poucos folículos, óvulos e embriões) (1).

A prevalência de baixa resposta à hiperestimulação ovariana está entre 9 a 24% das pacientes submetidas a ciclos de fertilização in vitro (FIV) (2). Nestas pacientes, independente do protocolo de estimulação usado, os resultados são baixos, com altas taxas de cancelamento e baixas taxas de gravidez (3,4).

Uma variedade de tratamentos adjuvantes já foi proposto para melhorar a resposta ovariana destas pacientes, mas nada mostrou real eficácia nos estudos prévios (5)

Uma meta-análise desenvolvida por Bosdou et al e publicada em fevereiro de 2012 na revista Human Reproduction Update avaliou o uso de andrógenos previamente a ciclos de FIV na tentativa de aumentar a resposta ovariana em pacientes más respondedoras. Após revisão da literatura médica a respeito, demonstraram que o uso de testosterona transdérmica antes do ciclo de FIV parece aumentar a taxa de gravidez em 15% e a taxa de nascimento em 11%. Além disso, diminui a dose de gonadotrofina necessária e o número de dias de estímulo (2).

A idéia de que a testosterona poderia ser útil para melhorar a resposta ovariana se baseia em estudos prévios em animais que sugerem que andrógenos desempenham um papel importante no desenvolvimento folicular nos estágios iniciais. Além disso, aumento na concentração intra-ovariana de andrógenos parece aumentar a expressão de receptores de FSH nas células da granulosa, aumentando a sensibilidade dos ovários ao FSH (6).

Paralelamente a esses estudos, alguns achados clínicos em mulheres com aumento de andrógenos (ovários policísticos e usuárias de hormônios masculinos exógenos) demonstram que a exposição a esses hormônios pode levar a uma maior número de folículos em desenvolvimento (7). Em contrapartida, tem sido relatado que níveis inadequados de andrógenos estão associados com menor sensibilidade ao FSH e baixa taxa de gravidez em ciclos de FIV (8).

Em 2009, um ensaio clínico randomizado realizado em Barcelona por Fábregues et al, demonstrou que o uso de adesivos de testosterona transdérmica prévio ao ciclo de FIV em pacientes más respondedoras diminui o número de ciclos cancelados e a dose de gonadotrofina necessária (9).

Em 2011 um outro estudo, realizado na Coréia do Sul por Kim et al, foi publicado na revista Fertility and Sterility demostrando que o uso de testosterona transdérmica gel em más respondedoras aumentou o número de oócitos coletados, oócitos fertilizados, qualidade dos embriões, taxa de gravidez e taxa de implantação (4).

Os estudos ainda são escassos e necessitam mais investigações, mas parecem promissores, levantando uma nova possibilidade de tratamento adjuvante para as pacientes com baixa resposta à estimulação ovariana.

Referência Bibliográficas:

1. Tarlatzis BC, Zepiridis L, Grimbizis G, Bontis J. Clinical management of low ovarian response to stimulation for IVF: a systematic review. Hum Reprod Update 2003; 1:61–76.

2. Bosdou JK, Venetis CA, Kolibianakis EM, Toulis KA, Goulis DG, Zepiridis L, Tarlatzis BC. The use of androgens or androgen-modulating agents in poor responders undergoing in vitro fertilization: a systematic review and meta-analysis. Hum Reprod Update. 2012 Mar;18(2):127-45. Epub 2012 Feb 3.

3. Balasch J, Fabregues F, Penarrubia J, Carmona F, Casamitjana R, Creus M, Manau D, Casals G, Vanrell JA. Pretreatment with transdermal testosterone may improve ovarian response to gonadotrophins in poor-responder IVF patients with normal basal concentrations of FSH. Hum Reprod 2006; 7:1884–1893.

4. Kim CH, Howles CM, Lee HA. The effect of transdermal testosterone gel pretreatment on controlled ovarian stimulation and IVF outcome in low responders. Fertil Steril 2011;2:679–683.

5.Kyrou D, Kolibianakis EM, Venetis CA, Papanikolaou EG, Bontis J, Tarlatzis BC.Howto improve the probability of pregnancy in poor responders undergoing in vitro fertilization: a systematic review and meta-analysis. Fertil Steril 2009;3:749–766.

6. Weil S, Vendola K, Zhou J, Bondy CA. Androgen and follicle-stimulating hormone interactions in primate ovarian follicle development. J Clin Endocrinol Metab 1999;8:2951–2956.

7. Hugues JN, Durnerin IC. Impact of androgens on fertility – physiological, clinical and therapeutic aspects. Reprod Biomed Online 2005;5:570–580.

8. Frattarelli JL, Peterson EH. Effect of androgen levels on in vitro fertilization cycles. Fertil Steril 2004;6:1713–1714.

9. Fabregues F, Penarrubia J, Creus M, Manau D, Casals G, Carmona F, Balasch J. Transdermal testosterone may improve ovarian response to gonadotrophins in low-responder IVF patients: a randomized, clinical trial. Hum Reprod 2009; 2:349–359.

Deixe uma resposta